Os momentos mais marcantes da seleção brasileira nas Copas

Os momentos mais marcantes da seleção brasileira nas Copas

Renan Renan 14 jun 2022

Você sabia que a seleção brasileira é a única que participou de todas as Copas do Mundo de futebol da FIFA? Também somos a que mais venceu, sendo a única 5 vezes campeã. É possível que você tenha assistido algum desses títulos na TV, ou ao menos acompanhado o Brasil em uma das Copas. A Copa do Mundo é um dos maiores eventos esportivos do mundo. 

Em 2022 teremos mais uma edição da competição, iniciando em novembro, no Catar. Para já entrar no clima da competição, o TudoEsportes preparou essa postagem, onde te mostraremos alguns dos momentos mais marcantes da seleção brasileira em Copas do Mundo. Vamos relembrar, juntos, alguns dos momentos mais felizes, e passar também pelos tristes, do Brasil no futebol mundial.

Navegue utilizando os tópicos que criamos para você:

Seleção Brasileira de Futebol/2022
Seleção Brasileira de Futebol/2022

As conquistas de títulos

Iniciaremos lembrando das 5 conquistas de título em Copas do Mundo da seleção brasileira de futebol.

O primeiro – 1958

Nessa Copa, realizada na Suécia, a seleção brasileira conquistou o título pela primeira vez. O Brasil se classificou em primeiro lugar do seu grupo, ficando a frente das seleções da União Soviética, Áustria e Inglaterra. 

Nas quartas de final, os brasileiros venceram o País de Gales. Na semifinal, um resultado memorável, goleamos a França por 5 a 2. A goleada voltaria a se repetir no jogo da final onde a seleção brasileira encarou o forte time da Suécia e venceu pelo mesmo placar. 

A primeira conquista é marcante por si só. Ademais, foi na copa de 58 que vimos o surgimento do astro Pelé. Com 17 anos, foi o jogador mais jovem a vencer uma Copa do Mundo.

O bicampeonato – 1962

Quatro anos após a primeira conquista, na Copa seguinte, realizada no Chile, o Brasil conquistou o seu segundo título mundial. Na fase de grupos a seleção teve excelente desempenho, se classificando na primeira colocação do grupo. 

O Brasil venceu a Inglaterra nas quartas de final. Na semifinal um jogo difícil, mas com triunfo brasileiro contra os anfitriões chilenos. A grande final foi contra a poderosa seleção da Tchecoslováquia, e os brasileiros conquistaram a vitória, e o título, por 3 a 1.

Podemos dizer que a segunda conquista foi tão marcante quanto a primeira. Grandes nomes se destacaram na campanha da seleção brasileira como Garrincha, Nilton Santos, Zagallo, Vavá e Pelé. O rei do futebol se contundiu antes do jogo da final, o que preocupou os brasileiros, mas Amarildo o substituiu e fez uma excelente partida. 

Primeira seleção tricampeã – 1970  

Na Copa de 70 tivemos uma das campanhas mais marcantes de todos os tempos em Copas do Mundo. Essa seleção brasileira é considerada por muitos a melhor que já existiu. A competição nesse ano ocorreu no México e o treinador brasileiro era Zagallo. 

Na fase de grupos se classificou em primeiro lugar, ficando à frente da Inglaterra, da Romênia e da Tchecoslováquia. Nas quartas de final o Brasil venceu o Peru por 4 a 2, se classificando com tranquilidade. A semifinal foi um jogo tenso, um embate entre duas seleções bicampeãs, Brasil e Uruguai. Os brasileiros conquistaram a classificação, vencendo a partida por 3 a 1. A final também ocorreu contra uma seleção bicampeã, a Itália. Com desempenho excelente, o placar foi elástico, os brasileiros conquistaram o título vencendo por 4 a 1, se consagrando como primeiro país tricampeão do mundo. 

O Tetra – 1994

O tetracampeonato do Brasil veio apenas 24 anos após o tri, na Copa do Mundo realizada nos Estados Unidos. A seleção comandada pelo treinador Carlos Alberto Parreira e com jogadores como Taffarel, Cafu, Bebeto, Ronaldo e Romário, fez excelente campanha.

Passamos pela fase de grupos também na primeira colocação, superando Camarões, Rússia e empatando com a Suécia. Nas oitavas de final a nossa seleção passou pelos EUA, pelo placar mínimo, 1 a 0. Nas quartas, o Brasil derrotou a seleção dos Países Baixos, em um jogo difícil, pelo placar de 3 a 2. O triunfo na semifinal veio contra a seleção de Suécia, difícil adversário que havia dado trabalho na primeira fase da competição.

A final foi uma das mais emocionantes das Copas. Brasil e Itália fizeram uma partida sem gols. O resultado de 0 a 0 fez com que a copa de 94 fosse a primeira decidida em uma disputa de pênaltis. Nós pênaltis, vencemos os italianos por 3 a 2, se consagrando a primeira seleção tetracampeã do mundo. 

Pentacampeonato – 2002

O último título brasileiro até então ocorreu no ano de 2002, na Copa do Mundo disputada na Coreia do Sul e no Japão. Essa foi outra das seleções que mais encantou os torcedores. Nomes como Rivaldo, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Edilson e Ronaldinho comandaram a campanha perfeita. 

O Brasil venceu os 7 jogos que disputou, implicando a primeira colocação na fase de grupos, vencendo as 3 partidas. Nas oitavas de final, Ronaldo e Rivaldo marcaram para vencer a seleção da Bélgica por 2 a 0. Nas quartas enfrentamos a seleção da Inglaterra, em um jogo difícil, vencemos por 2×1. A semifinal também foi complicada e o Brasil superou a Turquia, por 1 a 0. Por fim, a grande final, com dois gols de Ronaldo “fenômeno”, o Brasil superou a poderosíssima seleção da Alemanha e conquistou o pentacampeonato.

A quinta conquista do Brasil é, sem dúvidas, um momento que lembraremos. A campanha perfeita e o marco histórico de sermos a única seleção pentacampeã mundial colaboram com a lembrança.

Bons momentos memoráveis

Além dos títulos, falaremos de alguns momentos positivos que têm seu lugar especial quando pensamos no Brasil nas Copas. Separamos também 5 momentos que o torcedor brasileiro guarda com carinho na memória.

Golaço de Pelé em 1958

Como já citado anteriormente, Pelé foi o jogador mais jovem a vencer uma Copa do Mundo. O “rei do futebol” estava presente na primeira conquista brasileira, em 1958. No jogo da final, contra a seleção da Suécia, Pelé marcou dois dos cinco gols brasileiros. Um desses gols é lembrado até hoje e chegou a ser eleito o gol mais bonito da seleção brasileira de todos os tempos, em uma enquete popular realizada no “GloboEsporte” em 2020. Pelé “chapelou” o zagueiro dentro da área e finalizou forte no canto do goleiro, indefensável. 

A comemoração de Bebeto em 1994

Na Copa de 1994, que resultou no tetracampeonato, diversos momentos são lembrados pelo torcedor. Um deles ocorreu no jogo do Brasil contra os Países Baixos, pelas quartas de final. O Brasil saiu na frente, com um gol de Romário. O segundo gol veio pouco depois, marcado por outro destaque da campanha, o atacante Bebeto. Para comemorar o lance, Bebeto chamou dois companheiros de equipe e realizou um gesto que foi repetido diversas vezes no futebol. Bebeto balançou os braços de um lado para o outro, como se estivesse balançando um bebê, em homenagem ao seu filho, Mattheus. O atacante já havia feito a celebração anteriormente, na partida contra Camarões, mas a importância desse jogo foi responsável por marcar o momento na história do futebol.

Decisão de pênaltis em 1994 e a comemoração de Galvão Bueno

Ainda falando sobre a campanha de 1994, temos o emocionante jogo da final. A partida difícil contra a seleção da Itália terminou em 0 a 0, o que levou a decisão para os pênaltis. Você que acompanha futebol sabe o quanto uma disputa nas penalidades pode ser emocionante, em uma final de Copa, não seria diferente.

Tanto Itália quanto Brasil perderam a primeira cobrança. O segundo e o terceiro pênalti de cada seleção foram convertidos, deixando a decisão em 2 a 2. A quarta cobrança italiana, cobrada pelo jogador Massaro foi defendida pelo goleiro brasileiro Taffarel. Dunga converteu a quarta penalidade para o Brasil. Então houve o embate entre o astro italiano Roberto Baggio e o goleiro brasileiro. Baggio isolou a bola, a chutando por cima do gol.

Na principal transmissão da partida, feita pela TV Globo, tivemos a memorável narração de Galvão Bueno, um dos maiores locutores do futebol brasileiro. Galvão se emocionou e celebrou a conquista, com gritos de “é tetra! É tetra!” que todos os brasileiros lembram até hoje.

Os turcos perseguindo Denilson em 2002

Na copa do mundo de 2002, que concedeu ao Brasil o pentacampeonato, alguns momentos também ficaram marcados. O primeiro que lembraremos ocorreu no jogo do Brasil contra a Turquia, pela semifinal da competição. Apesar de a vitória brasileira ter sido consagrada por Ronaldo, autor do gol, um dos momentos mais marcantes foi protagonizado pelo jogador Denilson.

Em um lance individual, Denilson correu pelo campo, driblando diversos jogadores turcos. O lance rendeu boas imagens, que mostram o jovem brasileiro correndo livremente, com ousadia, perseguido por 4 marcadores turcos em simultâneo. O lance terminou com uma falta cometida por um dos jogadores da Turquia, que ajudou a esfriar o jogo e administrar a vitória brasileira.

O gol de falta de Ronaldinho em 2002

Ainda falando da campanha do título de 2002, temos um dos gols mais bonitos da história da seleção brasileira, e das Copas do Mundo. Nas quartas de final contra a Inglaterra, Michael Owen abriu o placar para os ingleses. O empate brasileiro veio dos pés de Rivaldo. Com o jogo igualado em 1 a 1, logo aos 4 minutos do segundo tempo, o Brasil teve uma falta a seu favor, que poderia ser perigosa.

Ronaldinho Gaúcho, com apenas 22 anos, foi para a cobrança. A falta foi marcada há 37 metros do gol, pelo lado direito da intermediária. Todo o posicionamento das equipes e a distância da cobrança, indicavam que o jogador tentaria fazer um cruzamento para algum companheiro de equipe. Para a surpresa de todos e alegria dos brasileiros, Ronaldinho chutou direto para o gol, pegando o goleiro desprevenido e marcando um belíssimo gol. O jogo terminou com o placar de 2 a 1, e o Brasil avançando na competição.

Piores momentos do Brasil em Copas

Assim como nem tudo na vida são flores, nem todos os resultados da seleção brasileira nas Copas são lembrados positivamente. Para finalizar, vamos relembrar juntos 5 dos piores momentos do Brasil nas competições mundiais.

O “Maracanaço”

Nossa lista de decepções começa com uma das maiores delas. A copa de 1950 foi a primeira sediada no Brasil, o que trouxe muita empolgação aos fãs de futebol. A seleção ainda não possuía nenhum título, mas a excelente campanha deu esperança aos torcedores.

O Brasil chegou até a grande final vencendo 4 partidas e empatando apenas uma. Duas das quatro vitórias foram por gigantes goleadas. Um 7 a 1 contra a Suécia e um 6 a 1 contra a Espanha, já nas últimas fases da competição.

A última partida, contra o Uruguai foi a grande decepção. O palco era o estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Um dos maiores estádios do Brasil encheu, para ver o possível primeiro título mundial da seleção. O público oficial contabilizado na partida era de 173.850 pessoas. Se considerarmos jornalistas, autoridades, convidados e invasores, estima-se que quase 200 mil pessoas estavam presentes.

A seleção brasileira saiu na frente no placar, com gol marcado por Friaça. O Uruguai empatou, com Schiaffino no segundo tempo. Por volta dos 34 minutos da última metade da partida, o desastre. Ghiggia marcou o segundo gol uruguaio, calando toda a torcida no estádio. O resultado permaneceu até o final, consagrando o Uruguai como campeão. Todo o público presente no Maracanã se decepcionou, se calou e voltou para a casa triste, amargando a derrota. O episódio é conhecido como “Maracanaço” ou “Maracanazo”, em espanhol.

Decepção em 1966

Após conquista o bicampeonato consecutivo, em 1958 e 1962, a seleção brasileira chegava como uma das favoritas na competição seguinte, em 1966. O elenco vencedor pouco havia mudado, os dois principais astros do time, Pelé e Garrincha ainda compunham a seleção. Porém, o que tivemos foi uma das piores campanhas do Brasil em Copas do Mundo.

A seleção comandada pelo técnico Vicente Feola perdeu 2 dos 3 jogos na fase de grupos, sendo eliminada na terceira colocação. Após vencer a Bulgária por 2 a 0 na estreia, o Brasil perdeu para Hungria e Portugal, por 3 a 1 nas duas partidas. 

A tristeza de Zico

Na Copa de 1986, realizada no México, o Brasil protagonizou uma de suas eliminações mais tristes. O time comandado pelo técnico Telê Santana buscava redenção, após ser eliminado na segunda fase no torneio anterior, em 1982. O Brasil fez boa campanha, se classificando em primeiro na fase de grupos e goleando a seleção polonesa por 4 a 0 nas oitavas de final.

Foi nas quartas que ocorreu o triste episódio. O jogo estava empatado em 1 a 1, contra a forte seleção da França. Então, o Brasil teve uma penalidade máxima marcada a seu favor. O jogador Zico, ídolo de equipes como o Flamengo, e responsável por bons desempenhos também com a camisa do Brasil, foi para a cobrança. O goleiro francês Bats fez uma excelente defesa, levando o jogo para a prorrogação e, posteriormente, decisão por pênaltis.

Nas penalidades, a França venceu por 4 a 3, eliminando a seleção. Destacamos a tristeza de Zico, ídolo por onde passou, que carregou a culpa de perder a cobrança, infelizmente encerrando sua carreira sem conquistar uma Copa do Mundo.

Derrota para os “Hermanos”

Uma das maiores rivalidades no futebol se dá entre Brasil e Argentina. Tanto em disputas entre as seleções, quanto entre clubes dos países. Dito isso, a eliminação para nossos “hermanos”, na copa de 1990 é uma das mais tristes, lembradas até hoje. O time desse ano não é um dos mais queridos pelos torcedores. As tentativas de inovações táticas do treinador Sebastião Lazaroni e o desempenho dentro de campo ainda são criticados.

O revés contra a Argentina aconteceu na partida das oitavas de final. A seleção rival, comandada por Diego Maradona e Caniggia, venceu o Brasil por 1 a 0, mas dominou a nossa equipe durante toda a partida. A eliminação rendeu diversas provocações, principalmente por jornais e torcedores argentinos. É mais um episódio que preferimos tentar esquecer.

O 7 a 1

Por fim, chegamos ao último momento da lista, um dos maiores e mais recentes vexames, que por muito tempo ficará na memória dos torcedores. Durante a Copa do Mundo de 2014, a segunda realizada no Brasil, a seleção estava embalada, empolgando muitos torcedores.

O Brasil se classificou em primeiro do grupo, vencendo duas das três partidas. Nas oitavas de final, superamos o Chile nos pênaltis. Nas quartas de final, em um jogo difícil, a seleção brasileira venceu a Colômbia, por 2 a 1.

Então chegamos a fatídica semifinal, contra a seleção alemã, no estádio Mineirão, em BH. A torcida compareceu para apoiar os brasileiros, o público era de 58 141. O que as quase 60 mil pessoas, fora os milhões de brasileiros acompanhando a partida pela TV, presenciaram, no entanto, foi uma tragédia esportiva.

A seleção brasileira, comandada pelo treinador Luiz Felipe Scolari, estava completamente perdida em campo. Logo aos 11 minutos, a Alemanha fez o primeiro gol. Dos 23 aos 29 minutos, ainda no primeiro tempo, algo inimaginável, os alemães marcaram mais 4 vezes.

Com o placar de 5 a 0 apenas no primeiro tempo, os torcedores estavam incrédulos. Ninguém entendia o que estava acontecendo. A Alemanha voltou com um ritmo desacelerado, ainda assim, fez mais dois gols. Nos minutos finais da partida, Oscar marcou a única alteração no placar a favor do Brasil, encerrando a partida em 7 a 1.

Muito se especulou sobre o desempenho e o resultado desse jogo. Torcedores mais fanáticos criam teorias da conspiração. A grande verdade é que a seleção alemã foi extremamente superior e o Brasil mal jogou a partida. O 7 a 1 ainda será motivo de muita piada entre os fãs de futebol que não gostam do Brasil.

Sendo assim, encerramos a nossa lista com os momentos mais marcantes da seleção brasileira em Copas do Mundo. Nos preparando para a competição do Catar, em novembro, vamos focar nas lembranças positivas, e torcer muito para que mais delas sejam criadas em 2022.

Mantenha-se conectado com o TudoEsportes para mais postagens sobre seleção, Copa, futebol e muito mais.

Fique por dentro

Receba as novidades no seu e-mail.

icone newsletter
banner lateral

Encontre o plano ideal para você.

Veja os planos